Quase dor

“Esqueço que amar é quase uma dor”

Desculpe Djavan, mas amar mesmo não é (quase) dor. Amar é lindo, fofo. Seja amor de amigo, irmão, homem x mulher é tudo maravilhoso. A verdade mesmo é que a dor existe quando o amor não pode existir, quando a saudade aperta tanto quanto uma dor física, quando a distância atrapalha por demais. 

Não acredito em destino – no sentido literal-, acredito em Deus e no que Ele faz. Creio sim que existe tempo pra todas as coisas, inclusive pra amar, pra deixar de fazê-lo, pra sentir saudade ou sofrer de distância, mas acredito que de um jeito ou de outro a gente aprende a viver. Seja o caminho difícil ou não, a gente vai sobrevivendo e aprende a suportar as dores que inevitavelmente a vida nos impõe.

Apesar de tudo ter seu tempo, nem tudo é fruto de uma escolha própria. E afinal, nessa nossa vida doida e imprevisível, o que é escolha própria se sempre somos influenciados por pessoas, sociedade, pensamentos, tempo? Deixa a vida jorrar mesmo e navegue, mesmo que no seu oceano de lágrimas particular.

 

(Isadora Bersot)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s