Laços e nós

Minha mente se encontrava em um verdadeiro caos. Decisões tomadas sem rumo, sem direção. Pensamentos soltos nasciam e voavam como uma borboleta que encontrou sua liberdade quando se viu livre do casulo.

Só que passou-se muito tempo. Os sonhos ficaram abandonados, mortos, esquecidos. Minhas decisões aleatórias tornaram-se motivos de tropeço pros meus próprios pés vacilantes. Busquei incessantemente desatar todos os nós criados que me sufocavam e me tiravam o ar. Mas nada deu certo. Eu não conseguia me desprender, me desamarrar, me ver livre.

Foi então que, como num passe de mágicas, uma situação, uma pessoa, uma brisa ou mesmo um passarinho verde trouxe-me uma resposta que já procurava fazia tanto tempo, que já estava esquecida. O casulo construído por minhas próprias mãos só se romperiam com a sua explosão dentro de mim. Aí entendi que existe Alguém lá em cima cuidando de mim; cuidando de você; e forma um laço tão lindo, forte e apertado o meu nó preso ao teu que não quero (e nem vou) desatar o nosso “nós”.

(Isadora Bersot)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s